Expansão da linha 4 do metrô até o Recreio em discussão

No encontro, Fernando Mac Dowell anunciou que a obra de expansão da linha 4 será realizada por meio de Parceria Público-Privada (PPP) e que já procurou o Banco Mundial para viabilizar os recursos. O gestor informou aos vereadores que a SMTR ainda realiza estudo de viabilidade, demanda e potencialidades para implantação do projeto. “A Prefeitura quer realizar a expansão. O sistema de metrô tem condições de chegar até o Recreio, Madureira, em diversos lugares”, afirmou.

 

O vereador Carlo Caiado (DEM) cobrou dos técnicos da Secretaria de Urbanismo o estudo sobre o aumento de gabarito da Avenida das Américas o que viabilizaria a realização das PPP’s. O parlamentar apontou o Centro Empresarial Mário Henrique Simonsen como exemplo positivo de transferência de potencial construtivo sem impacto naquela via pública.  Os técnicos informaram que o estudo ainda não foi realizado.

 

A implantação do sistema de transporte lagunar, estabelecido por lei municipal, de autoria dos vereadores Carlo Caiado e Thiago K. Ribeiro (PMDB), ainda não tem prazo para acontecer, pois ainda não existe estudo conclusivo.

 

O presidente da Comissão Permanente de Assuntos Urbanos, vereador Chiquinho Brazão (PMDB), também cobrou do secretário informações objetivas e definição de prazos. Já o vereador Alexandre Isquierdo (DEM), presidente da Comissão Permanente de Transportes e Trânsito, propôs a realização de audiência pública para discussão sobre o tema de forma detalhada e com mais tempo.

 

E o vereador Felipe Michel (PSDB) propôs algumas ações a serem realizadas e que independem de estudos técnicos, entre elas, transformar o entorno da estação Jardim Oceânico em praça pública para melhor aproveitamento do espaço, hoje ocioso. E ainda, a integração tarifária dos modais BRT e metrô através do Bilhete Único. “Quem chega ao Jardim Oceânico pelo corredor BRT prefere pegar outro ônibus e seguir para a Zona Sul. A pessoa vai ficar duas horas no trânsito, mas não pagará duas tarifas. Isso é qualidade de vida?”, indagou.

 

Por fim, vereadores e secretário definiram o prazo de 60 dias para apresentação dos estudos técnicos.