Programa que reúne golfe e educação ambiental para alunos da rede municipal festeja dois anos

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, celebrou nesta terça-feira, 14 de maio, com 300 alunos de escolas da rede municipal, os dois anos do Projeto Golfe Que Te Quero Golfe, que ensina aos estudantes noções do esporte e de como preservar o meio ambiente. O programa é uma iniciativa do Campo Olímpico de Golfe, na Barra da Tijuca, em parceria com a Secretaria Municipal de Educação.

– Hoje, vocês vão passar um dia inesquecível aqui no campo de golfe com seus professores – disse Crivella, dirigindo-se aos alunos. – Cada um de vocês é um talento único, não existe ninguém igual a você no mundo inteiro. De tal maneira que seus sonhos vão se realizar, com fé em Deus, respeitando papai e mamãe, respeitando a professora e sendo um bom colega na sala de aula – completou o prefeito.

A cada mês, uma escola por vez, 100 alunos da rede municipal passam o dia no campo de golfe. As exceções são os períodos de férias, em janeiro, julho e dezembro. São crianças e adolescentes do 6º ao 9º ano do Ensino Fundamental, com idades entre 10 e 15 anos. As visitas são divididas em três partes: teoria esportiva, educação ambiental e aula prática.

A emoção de plantar uma árvore

Os estudantes assistem a palestras sobre golfe e cuidados com o meio ambiente. Aprendem sobre a fauna e a flora do Campo Olímpico de Golfe, onde existem diversos tipos de plantas e animais, como capivaras, pássaros e até jacarés. Depois, participam de debates sobre sustentabilidade e preservação ambiental.

O aluno João Paulo Costa realiza o sonho de plantar uma árvore, ao lado da geógrafa Janice Peixoto

O aluno João Paulo Costa realiza o sonho de plantar uma árvore, ao lado da geógrafa Janice Peixoto. Foto: Paulo Sérgio / Prefeitura do Rio

A visita inclui o plantio de mudas. Na atividade desta terça-feira, foram plantadas 20 espécies diferentes de árvores, entre elas, olho de cabra, ingá, pitanga e ipê. O aluno especial João Paulo Freitas da Costa, 23 anos, do Instituto de Inclusão Social (Iris), plantou pé de pitanga, ao lado da geógrafa e coordenadora de Educação Ambiental, Janice Peixoto

– Viva, plantei uma árvore! – festejou João Paulo, batendo palmas.

“Não imaginava que esse esporte fosse tão legal”

O programa oferece ainda o primeiro contato com o esporte, na prática. É quando meninos e meninas recebem dicas de como manusear o taco de golfe e de como manter a postura ideal para obter maior alcance da bola no arremate. Alunos com habilidades esportivas identificadas por instrutores e pais podem voltar ao local e frequentar aulas gratuitas.

Beatriz Rocha, 10 anos, aluna da Escola Municipal Dom Armando Lombardi, ficou encantada:

– Não imaginava que esse esporte fosse tão legal. Quero voltar aqui – vibrou.

Na comemoração de dos dois anos do projeto, sete escolas municipais foram representadas (veja a lista mais abaixo). Entre elas, a Escola Especial Municipal Professora Maria Terezinha de Carvalho Machado, de alunos com necessidades especiais.

– De 30% a 40% dos 100 alunos mensais frequentam os núcleos de PCDs (Pessoas Com Deficiência) – informou Carlos Favoreto, presidente do Campo Olímpico de Golfe.

Escolas Municipais participantes da comemoração

Escola Municipal João Batista – Cidade de Deus;

Escola Municipal Alphonsus Guimarães – Pechincha;

Escola Municipal Luiz Camilo – Taquara;

Escola Municipal Dom Armando Lombardi – Praça Seca;

Escola Municipal Francis Hime – Jacarepaguá;

Escola Especial Municipal Professora Maria Terezinha de Carvalho Machado – Praça Seca;

Escola Municipal Sobral Pinto – Praça Seca.