Vacinação contra a gripe no Rio começa dia 24 e deve imunizar 1,4 milhão de pessoas

A Secretaria Municipal de Saúde inicia, na próxima terça-feira (24/04), a Campanha de Vacinação contra a Influenza

 para idosos, crianças de seis meses a 4 anos, gestantes, puérperas, trabalhadores de saúde, portadores de doenças crônicas (com prescrição médica), professores das redes pública e privada, população privada de liberdade e funcionários de instituição prisional, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos sob medidas sócio-educativas. Nos outros estados brasileiros, a campanha começa no dia 23. Porém, por conta com feriado de São Jorge nos municípios do Rio de Janeiro, a vacinação terá início um dia depois. 

O Dia D de mobilização será no dia 12 de maio (sábado), quando postos extras serão montados em toda a cidade para facilitar o acesso da população. A imunização tem por objetivo reduzir as internações, complicações e mortes em decorrência das infecções pelo vírus da gripe. A campanha vai até o dia 1º de junho.

 

A vacina estará disponível durante a campanha nas unidades de Atenção Primária (clínicas da família e centros municipais de saúde), de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. Para as mulheres até 45 dias do parto, será solicitada comprovação da condição clínica. A meta é vacinar 90% dos grupos alvo recomendados da campanha, o que representa cerca de 1,4 milhão de pessoas.

 

Seguindo a recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS), para a temporada 2018 a vacina influenza trivalente é composta por cepas dos três tipos de vírus da gripe mais circulantes no Hemisfério Sul e com mais possibilidades de causar quadros graves da doença. O esquema é recomendado conforme a idade do paciente: duas doses para crianças de seis meses a 8 anos de idade que nunca tenham sido vacinadas contra a gripe; e dose única para pacientes a partir de 9 anos. Para quem faz parte dos grupos-alvo, é preciso atualização da dose anualmente, em virtude das mudanças de cepas dos vírus influenza.

Estudos demonstram que a vacinação contra a gripe pode reduzir de 32% a 45% o número de hospitalizações por pneumonias e de 39% a 75% da mortalidade global e em, aproximadamente, 50% as doenças relacionadas à influenza.

 

Para pessoas que tenham apresentado febre recente, recomenda-se adiar a vacinação até que o estado de saúde melhore. Portadores de doenças neurológicas e síndrome Guillain-Barré devem consultar um médico antes de tomar a vacina e seguir suas orientações. Já pessoas com história de alergia grave e prévia a ovo ou a algum outro componente da vacina não devem se vacinar.